Parque Natural de Montesinho

Faz algum tempo que quero conhecer o Parque Natural de Montesinho. Já ouvi maravilhas acerca deste parque e penso que esta será a altura de Inverno ideal para o visitar.

Fazer um pouco de turismo de natureza, para descansar e dar a conhecer um pouco da vida rural ao meu filho.

Parque Natural de Montesinho (PNM) situa-se no Nordeste Transmontano (Portugal). Tem uma dimensão de cerca de 75 mil hectares. Reconhecido em 1979 como Parque Natural, tem atualmente 9.000 habitantes, 92 aldeias

Apresenta um relevo heterogéneo, com planaltos ondulados cortados por profundos vales encaixados, bem como algumas serras, das quais as duas mais importantes são a Serra de Montesinho, a norte de Bragança, e a Serra da Coroa, a norte de Vinhais. As altitudes variam entre os 1486 metros, na Serra de Montesinho e os 438 metros no leito do rio Mente.

Nele existe extensa biodiversidade, habitando espécies como o lobo-ibérico, a corça ou o veado.

                                                                                           parque natural montesinho

Pretendo também visitar algumas aldeias comunitárias inseridas neste Parque:

Montesinho

Aldeia transmontana de Montesinho, a cerca de 1000 metros de altitude, em pleno Parque Natural de Montesinho, já vi fotos e é uma aldeia pitoresca com as suas casas típicas muito bem preservadas.

parque natural de montensinho

Rio de Onor

 De um lado, Rio de Onor, do outro, Rihonor de Castilla. Esta aldeia comunitária é uma das mais bem preservadas do Parque Natural de Montesinho, com casas típicas serranas em xisto com varandas alpendradas, muito bem recuperadas e a sua praia fluvial convida a momentos de descanso, junto às águas límpidas do rio!

Uma invulgar povoação pousada sobre a fronteira, e em todos os lugares onde há sempre a porta aberta de um sorriso para nos receber.

Esta aldeia oferece pontos de interesse que não podem deixar de ser visitados: a Ponte Romana, a Igreja Matriz, o forno, a forja e os moinhos comunitários.

Das tradições ancestrais de Rio de Onor merece uma menção o rionorês, dialeto que nasceu da mistura do castelhano e do português e que, ainda hoje, é falado na aldeia; e a Festa dos Reis (6 de janeiro), um rito da puberdade no qual participam os rapazes solteiros.

Esta aldeia conta apenas com uma jovem, segundo esta notícia.

parque natural de montesinho

 

Gimonde

Gimonde é uma aldeia e freguesia portuguesa do concelho de Bragança, com 16,5 km² de área e 341 habitantes (2011), tendo como atração as suas paisagens e uma antiga ponte romana. Com as fundações assentes num maciço rochoso de xisto, tanto as guardas da ponte como a sua superestrutura foram construídas com a mesma pedra.

Também muito conhecido pela sua famosa posta, temos  restaurante “O Abel”

parque natural de montesinho

Outras as aldeias inseridas no parque e alvo de visita: Gondosende e o seu famoso carvalho centenário. Localizada a cerca de 13 km da sede de concelho, facilmente encontrei a placa com a indicação da aldeia, seguindo na estrada nacional 103 que liga Bragança a Vinhais.

parque natural de montesinho

Guadramil

O relevo é bastante acidentado. A vida selvagem é composta essencialmente por corsos, javalis, raposas, coelhos, lebres, lobos, perdizes, melros, estorninhos, pintassilgos, lagartos e cobras.

Esta aldeia, foi durante muitos anos, uma aldeia comunitária, onde os seus habitantes repartiam o moinho, a forja, o rebanho e algumas tarefas agrícolas. Neste momento, é habitada por cerca de trinta pessoas todas elas bastante idosas. Já não existe rebanho, o moinho já não mói, na forja já não se molda o ferro, os campos estão ao abandono. 

parque natural de montensinho

Poema de CAMPOS ALMEIDA

Lá muito para traz de Trás-os-Montes

Na terra raiana do sol poente

Guadramil forja o ferro e a gente

Entre o xisto, as sesões e as fontes

 

Bate a burra caminhos dos horizontes

– Tic-toc! … Tic-toc … em passo dolente

À espera do sol que vem do nascente

E a tocar rebanhos pelos montes

 

Na comunal vida de cada dia

Olha Riomazanas e suas irmanas

-Terras da calma e da nostalgia!…

E entre os escanos e a casaria

O nevão branqueia as horas serranas

– Mas o sol volta e calda a serrania!…

Todas as informações sobre o parque natural podem obtidas aqui

Onde dormir e outras informações, podem consultar AQUI

Existem ainda dois lugares do lado espanhol, os quais gostaria de visitar, se tivermos tempo: Puebla de Sanabria e Lago Sanabria.

E como não conheço Bragança, vamos dar um saltinho até lá.

Centro histórico de Bragança

Bragança conserva um património ímpar num centro histórico compacto, que facilmente se percorre a pé.

 As suas pedras gastas são testemunhas de uma História atribulada, que remonta à Idade do Bronze, conta com a presença de romanos, suevos e visigodos, prosseguindo com combates que ajudaram a estabelecer as linhas de fronteira e a importância estratégica do burgo.

Atrações da cidade:

  • Torre de Menagem quatrocentista destaca-se num dos mais harmoniosos e bem preservados castelos do país, que abriga um conjunto monumental digno de nota pela sua originalidade;
  • Domus Municipalis, edifício que se acredita ter acumulado as funções de cisterna com a de local de reunião dos “homens bons” do concelho;
  • Igreja de Santa Maria, cuja frontaria barroca, de tipo retabular, traduz no granito a talha dourada dos altares;
  • Pelourinho medieval está incrustado num berrão, estátua zoomórfica com origem em povos castrejos da proto-história.

Para lá das muralhas, as ruas empedradas encontramos um rosário de templos:

  • Convento de S. Francisco;
  • Igrejas de S. Vicente e da Misericórdia;
  • Sé, com um claustro renascentista e sacristia merecedores de visita atenta.
  • O mesmo percurso está recheado de magníficos solares, edificados entre os séculos XVI e XVII, que hoje albergam instituições públicas.

Mas os tesouros monumentais não se limitam ao coração da cidade. Nas redondezas encontram-se jóias como o Mosteiro de Castro de Avelãs, cuja cabeceira de planta circular revestida a tijolo é exemplar único em Portugal do estilo românico-mudéjar, ou a majestosa Igreja de Santo Cristo do Outeiro, com um esplêndido interior em talha barroca e assinalável pintura sacra.

Comentários

comments

One thought on “Parque Natural de Montesinho

Comentários:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.